Pelo menos duas morreram e dez pessoas ficaram feridas num atentado numa pensão perto da embaixada espanhola, em Cabul, Afeganistão, segundo avança a agência de notícias afegã.

Segundo o El País, o presidente espanhol Mariano Rajoy já descartou que a embaixada fosse o alvo do atentado, embora admita que "poderia perfeitamente sê-lo". O ministério dos Negócios Estrangeiros espanhol, citado pelo El país, garante, que se tratou de um ataque suicida.

Segundo escreve a Reuters, o ataque foi levado a cabo por, pelo menos, três suspeitos. “ Depois de uma explosão de um carro, alguns terroristas entraram numa pensão perto da Embaixada de Espanha. As forças especiais cercaram o local e controlaram a zona”, indicou o chefe de operações do Ministério do Interior afegão, Homayoon Aini.

Por sua vez, o porta-voz do mesmo ministério avançou que a explosão foi causada por um carro bomba nas proximidades de Shir Pur e que as autoridades estavam a tentar obter mais pormenores. 

Os talibã já reivindicaram a autoria do atentado e afirmaram que o objetivo era atingir a pensão. Segundo o El País, a informação foi divulgada no Twitter, pelo porta-voz dos talibã, Zahibulá Muyahid. Os terroristas adiantam que o ataque foi levado a cabo por um bombista suicida e causou várias vítimas. “A guerra segue a bom ritmo”, alegou.

A agência afegã sustenta que existem pelo menos dois mortos, enquanto que uma ONG italiana dá conta que ao hospital, situado a 700 metros do local, chegaram sete feridos afegãos. 

Pelo menos um polícia espanhol morreu na explosão, revelou o presidente de Espanha, Mariano Rajoy, após um comício em Alicante. 

As primeiras informações indicam que os restantes feridos são cidadãos afegãos. O presidente espanhol confirmou ainda que nenhum trabalhador da embaixada ficou ferido.