«Espero que encontrem alguns editores tão entusiasmados em relação a tudo isto quanto eu. Sintam-se à vontade para partilhar esta carta com qualquer pessoa que queira saber o desenlace da história», lê-se no final do texto.










The Guardian

«Com certeza que me apanharam. Eles estão a escrever guiões de 60 folhas e eu livros de 1300 páginas (...) Não posso preocupar-me com isso. Só tenho que me preocupar com contar as histórias da melhor maneira possível», diz o autor.