Um estudo descobriu que o chamado “gene vegetariano” pode estar ligado ao grande risco de desenvolver cancro o colon e problemas de coração. 

De acordo com os cientistas, o gene que ajuda as pessoas que não comem carne ou peixe a criar ácidos gordos adicionais tem um efeito negativo. Tudo porque estes ácidos reagem agressivamente a óleos de girassol baratos, uma vez que sobrecarregam o corpo com compostos de ómega-6. Ou seja, podem desenvolver-se vários processos internos que podem resultar em graves inflamações, cancro do colon e problemas cardíacos. 

O estudo revela ainda que habitantes de países com uma dieta baseada em plantas, desenvolveram uma mutação genética que os deixa vulneráveis a graves inflamações.

Tom Brenna, da Universidade de Cornell, acrescenta que o uso de óleos de cozinha baratos transformou um gene útil mais num obstáculo do que num aliado, o que obriga o organismo a usar muito ácido araquidónico, provocando inflamações.

“A mutação apareceu no genoma humano há muito tempo e foi transmitida através da família humana"

O estudo, feito pela Universidade de Cornell, em Nova Iorque, e publicado em Molecular Biology and Evolution, comparou sequências genéticas de 234 indianos – que consomem pouca carne – e de 311 americanos do Kansas – onde a carne é consumida regularmente. A mutação foi encontrada em 68% dos indianos e em apenas 18% dos Americanos.