A Igreja Mórmon, com base em Salt Lake City, tem feito um esforço recente para explicar algumas crenças, através de artigos no seu site.

 

O mistério das roupas usadas pelos seus fiéis foi recentemente abordado, com um vídeo onde explica a prática em profundidade e criticava aidicularização de pessoas de fora sobre o que considera um símbolo de devoção.

 

Além disso, também reconheceu, num ensaio, que o fundador Joseph Smith teve uma noiva adolescente e era casado com esposas de outros homens.

 

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos Últimos Dias (popularmente conhecida como Igreja Mórmon), com 15 milhões de membros em todo o mundo, decidiu esclarecer algumas crenças para combater as críticas e a crise que atravessa.

 

Vídeo sobre as «vestes do templo»

 

O vídeo, disponível no YouTube, compara as duas peças brancas de algodão, as «vestes do templo», a acessórios sagrados usados ​​noutras confissões religiosas, como o hábito de uma freira católica ou o solidéu muçulmano.

 

 

O vídeo dissipa a noção de que os Santos dos Últimos Dias acreditam que as roupas do templo têm poderes especiais de proteção, um estereótipo perpetuado na Internet por aqueles que se referem à roupa sagrada como «roupa interior mágica de Mórmon».

 

O vídeo e o artigo que o acompanha contêm informações detalhadas sobre as roupas que usam, algo nunca antes feito, segundo os estudiosos mórmons.

 

«Isso foi feito para preencher um vazio na Internet, que tem pouca, ou nenhuma, informação precisa sobre os mórmons», disse Eric Hawkins, porta-voz da igreja, num comunicado.

 

As peças são mostradas, um vislumbre raro em público, pois os membros são ensinados a não pendurar as roupas em locais públicos, para secar, ou deixá-los à vista de pessoas «que não entendem o seu significado».

 

 

Casamentos de Smith, o fundador

 

A Igreja diz que a maioria das esposas de Smith tinham entre 20 e 40 anos. No entanto, uma deles era apenas uma menina de 14 anos, filha de amigos próximos de Smith.

 

O novo artigo sobre as esposas de Smith, durante os anos de 1830 e 1840, surge cerca de 10 meses depois de igreja reconhecer que a poligamia foi amplamente praticada entre os seus membros no final do século XIX.

 

O ensaio observou que, embora inadequado para os padrões atuais, o casamento com meninas adolescentes era legal e comum nessa altura. Reconhece, no entanto, que muitos detalhes sobre a poligamia no início do mormonismo são nebulosos, porque os membros foram ensinados a manter as suas ações confidenciais.

 

Além das roupas e os casamentos do fundador, publicaram-se artigos sobre a proibição da fé a homens negros, a poligamia e o equívoco de que os membros são ensinados que vão ter o seu próprio planeta na vida após a morte.