Um desentendimento com um colega que resultou em confrontos físicos seguidos de troça por parte de outros colegas terá estado na origem da morte de 11 pessoas num destacamento militar em Cabo Verde, segundo as Forças Armadas.

Em conferência de imprensa este sábado, na cidade da Praia, o Comandante da Guarda Nacional, coronel Jorge Martins Andrade, adiantou que esta conclusão resulta das primeiras investigações internas à morte de oito militares e três civis num posto militar, de que é principal suspeito Manuel António Silva Ribeiro, soldado do mesmo destacamento.

Conclui-se que esteve na origem do ocorrido um desentendimento do soldado Ribeiro com um colega, que culminou com um confronto físico, donde saiu derrotado, ficando no posto de serviço em vez de outro, tendo sido alvo de gozo por parte dos restantes colegas", disse Jorge Andrade.

O incidente já levou à demissão do Chefe de Estado-Maior das Forças Armadas de Cabo Verde, Alberto Barbosa Fernandes, confirmaram hoje fontes oficiais.

Segundo o comandante da Guarda Nacional, coronel Jorge Martins Andrade, o chefe das Forças Armadas cabo-verdianas apresentou o seu pedido de demissão ao ministro da Defesa, Luís Filipe Tavares, e na segunda-feira deverá fazer um comunicado público sobre essa decisão.

A informação foi avançada hoje numa conferência de imprensa pelo coronel Jorge Martins Andrade, a primeira de um responsável das Forças Armadas na sequência da morte de 11 pessoas no destacamento militar de Monte Txota, no concelho de São Domingos, interior da ilha de Santiago.