O cabeça-de-lista do Partido de Renovação Social (PRS) admitiu esta terça-feira impugnar as eleições gerais angolanas realizadas na quarta-feira, cujos resultados provisórios dão vantagem ao MPLA, considerando que "demonstram o cúmulo da falta de transparência".

Com certeza da nossa parte poderemos mesmo impugnar os resultados dessas eleições. Se não houver correção e demonstrações de como os resultados apareceram não estamos em condições de reconhecer esses resultados", disse Benedito Daniel, que é também presidente do PRS, terceiro maior partido da oposição, em declarações à agência Lusa.

Os resultados provisórios das eleições gerais de 23 de agosto divulgados pela Comissão Nacional Eleitoral (CNE) - que também não são reconhecidos pela UNITA e pela CASA-CE - dão a vitória ao MPLA, com 61% dos votos e uma projeção de 150 deputados (maioria qualificada), além da eleição de João Lourenço como próximo Presidente da República.

Nessa contagem, o Partido de Renovação Social tem 1,33% dos votos: elegerá dois deputados, menos um do que em 2012. Surge em quarto lugar, atrás do MPLA, da UNITA e da coligação CASA-CE.