O acordo proposto à Grécia pelos credores está agora nas mãos do povo helénico, depois de o governo de Alexis Tsipras ter agendado um referendo sobre esta matéria para o próximo domingo. A pergunta que vai estar em jogo a 5 de julho, que é como quem diz, que vai constar nos boletins de voto, já foi divulgada.
   

"Deverá ser aceite o projeto de acordo que foi submetido pela Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional no Eurogrupo de 25.06.2015 e que compreende duas partes, que constituem uma proposta unificada? O primeiro documento designa-se 'Reformas para a Conclusão do Programa Atual e Mais Além' e o segundo 'Análise Preliminar da Sustentabilidade da Dívida'."


As possibilidades de resposta serão "Não Aceite / Não" e "Aceite / Sim".

A questão parece complexa, sobretudo se se tiver em conta que, até aqui, nenhum dos documentos referidos foi traduzido para a língua grega. Por isto, muitos questionam até que ponto os cidadãos da Grécia conhecem o conteúdo da proposta mencionada.

Com conhecimento ou não, os gregos vão ser chamados a decidir e, por isso, vários líderes europeus já deixaram mensagens ao país helénico.

O presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Junker pediu o "Sim" no domingo, afirmando que uma vitória do “Não” no referendo é também um não à União Europeia. Por sua vez, Angela Merkel afirmou que "se o Euro falha, a Europa falha".