A Coreia do Norte lançou um míssil de tipo não identificado, que chegou a território japonês, segundo o governo nipónico, aqui citado pela Reuters. O "projétil não identificado” foi disparado de Pyongyang na madrugada de terça-feira, cerca das 05:57 locais (21:57 de segunda-feira, em Lisboa).

Também o governo da Coreia do Sul avisou já para o lançamento deste míssel "não identificado" pelo regime de Kim Jong-Un.

O sistema de alerta do governo nipónico aconselhou as pessoas do norte do Japão a tomar precauções. De qualquer modo, o transmissor público NHK garante que não há sinal de danos e que o míssil se partiu em três pedaços, nas águas ao largo da ilha de Hokkaido, nomeadamente a 1,180 quilómetros a este de Cape Erimo.

As autoridades japonesas falam numa "grave ameaça" prometem tudo fazer para "proteger" o seu país, dando "os passos adequados" em relação à Coreia do Norte.

Por sua vez, o Ministério da Defesa dos Estados Unidos confirmou, em comunicado, que o míssil disparado pela Coreia do Norte sobrevoou o Japão, mas não representa ameaça para a América do Norte.

"Determinámos que a Coreia do Norte fez um disparo de míssil nos últimos 90 minutos. Podemos confirmar que o míssil lançado pela Coreia do Norte sobrevoou o Japão", indicou o coronel Rob Manning, precisando que estão em curso mais análises em relação ao lançamento.

Este lançamento surge no próprio dia em que Pyongyang ameaçou “afundar todo o território” dos Estados Unidos, caso a administração de Donald Trump tente invadir o país asiático, no âmbito das tensões permanentes entre as duas partes.

O regime de Kim Jong-un lançou a ameaça através dos meios oficiais, fazendo-a coincidir com o Dia Nacional do Exército Naval e depois de ter avançado, no sábado, com um mais um teste de misseis balísticos de curto alcance.

Nesse dia, o regime norte-coreano lançou três projécteis balísticos de curto alcance precisamente no mar do Japão, depois de um mês de silêncio balístico. Tem havido, igualemente, uma escalada de tensão entre os dois países. O Japão anunciou novas sanções a 25 de agosto.

As ameaças da Coreia do Norte têm aumentado de tom no último mês, sobretudo desde que a ONU impôs novas sanções. A 10 de agosto, o regime de Kim Jong-un logo garantiu que, dentro de dias, ia estar pronto para disparar quatro mísseis em direção à ilha norte-americana de Guam, no Pacífico.