Nos casos em que sejam verificados abusos, as operadoras poderão cobrar "uma pequena taxa", que "não pode ser  superior ao limite máximo das tarifas grossistas que os operadores pagam pela utilização das redes de outros países da UE".

Os limites daquilo que é considerado razoável serão definidos a 15 de dezembro de 2016.
 

Preços mais baixos já em 2016









"Só vai prejudicar os consumidores"




"O aumento do tráfego vai existir sem que os operadores portugueses tenham a possibilidade de recuperar a totalidade dos custos associados tanto à ocupação da sua rede, como às necessidades de investimento para atender à procura acrescida”.