A Rússia começou hoje a construir no Ártico uma base militar para uma unidade de defesa antiaérea, informaram fontes militares.

O comandante da Frota do Norte, almirante Nikolai Evmenov, deslocou-se ao porto de Tiksi, no norte da região da Iacútia, para assistir à cerimónia de inauguração, noticiou a imprensa local.

A primeira coisa que foi feita foi a colocação dos pilares da cidadela onde viverão os militares da Força Aérea e da Frota do Norte, que estarão sujeitos, naquela zona do globo, a temperaturas gélidas durante a maior parte do ano.

A base, que estará pronta daqui a seis meses, de acordo com as fontes militares, contará com dormitório, edifício administrativo, central hidroelétrica e depósito de água e combustível, entre outras instalações.

De acordo com os planos do Ministério da Defesa russo, haverá bases para unidades de defesa antiaérea no arquipélago de Nova Zembla e em Dikson, o núcleo de população mais setentrional da Rússia.

Na nova doutrina militar russa, aprovada em 2015, o Presidente russo, Vladimir Putin, prestou especial atenção ao Ártico, que passou a ser uma das prioridades da defesa nacional para as próximas décadas.

Embora negue que se proponha a militarização da região, Putin ordenou a instalação de uma rede de bases militares na zona, onde se situam 80% das jazidas de hidrocarbonetos russas.