Cerca de 50 migrantes terão sido encontrados mortos num camião abandonado numa autoestrada da Áustria, avança a agência Reuters, nesta quinta-feira, que cita o jornal austríaco Krone.
 
No entanto, a agência austríaca APA indica um número menor de vítimas, pelo menos 30. As autoridades policiais confirmaram já a existência de 20 vítimas mortais, que poderão ascender à meia centena.

Segundo apurou o Krone, os migrantes morreram asfixiados e os corpos foram encontrados já em fase de decomposição.

Os corpos foram descobertos num camião com matrícula húngara, estacionado na berma da autoestrada A4, entre o lago Neusiedl e a localidade de Parndorf, no estado federado de Burgenland, na fronteira com a Hungria. Estaria ali desde quarta-feira, mas foi apenas descoberto hoje.
 
Segundo a Reuters, o chefe da polícia de Burgenland, Hans Peter Doskozil, disse que há fortes indicadores de que os migrantes já estariam mortos quando o camião entrou na Áustria.
 

“As mortes terão ocorrido entre um dia e meio a dois dias”, disse Doskozil, acrescentando que isso sugere que já estariam mortos quando atravessaram a fronteira.


A polícia confirma, também, que está à procura do condutor, em colaboração com as autoridades húngaras.

A ministra austríaca do Interior já se pronunciou sobre a descoberta, considerando-a uma "tragédia, que a todos chocou". "Todos sabemos que os traficantes de pessoas são criminosos", disse ainda Johanna Mikl-Leitner, em conferência de imprensa, sublinhando a urgência de protegerem os migrantes no âmbito da União Europeia.

Dezenas de milhares de refugiados das guerras no Médio Oriente, sobretudo sírios e iraquianos, além de afegãos, têm cruzado nas últimas semanas a Macedónia, a Sérvia e a Hungria na tentativa de chegarem à Europa Ocidental, particularmente à Alemanha e Áustria.