No passado dia 23 de junho o distrito de Yancheng, no leste da china, foi atingido por um violento tornado. Ainda estão a ser contabilizadas as vítimas e as perdas materiais da violenta tempestade. O número de mortos já subiu para 99, os feridos já são 846. Mais de 1.600 pessoas ficaram sem casa.

Surgiram agora os primeiros vídeos do fenómeno na Internet e as imagens são impressionantes. A Agência de notícias Xinhua News descreveu este tornado como o mais violento dos últimos 50 anos.

Entretanto, a chefe dos bombeiros da província de Jiangsu declarou o fim das buscas por sobreviventes e o início dos trabalhos de limpeza dos estragos. Deu também início à reconstrução das infraestruturas destruídas ou danificadas.   

O presidente da china, Xi Jinping, também exigiu todos os esforços para o resgate das vítimas e para a limpeza das áreas destruídas.  

 

Os danos desta catástrofe foram significantes. Vários postes de eletricidade caíram nas estradas, deixando-as intransitáveis; Muitos telhados cederam, paredes caíram, há carros submersos em canais e janelas completamente partidas, deixando as casas expostas a pilhagens. As populações tentaram transportar os pertences que conseguiam, depois de terem sido aconselhadas a deixar as suas casas.

“Eu pensava que era o fim do mundo”, disse um residente à Xinhua

“Eu ouvi as rajadas de vento e subi as escadas para fechar as janelas. Eu já tinha chegado lá acima quando ouvi um estrondo e vi a parede inteira com as janelas a desabar.”

Outras regiões da china foram também afetadas, registando-se várias cheias devido à tempestade. No sul do país, morreram 22 pessoas e 200.000 estão desalojadas.

É habitual a China ser afetada por fenómenos naturais entre maio de julho. Mas este ano tem sido particularmente adverso, com a maior subida dos rios desde 1998, quando uma grande vaga de cheias afetou 180 milhões de pessoas, de acordo com os media locais.

As perdas económicas podem ascender os €370 milhões.