O Tribunal Constitucional da Coreia do Sul aboliu esta quinta-feira  uma controversa lei sobre o adultério, que considerava as relações extraconjugais um delito punível com pena de prisão de até dois anos.

Com sete votos contra dois, os juízes decidiram que a lei, datada de 1953, e que visava proteger os valores da família, era inconstitucional.

“Mesmo que o adultério deva ser condenado como imoral, a autoridade pública não deve interferir na vida privada dos indivíduos”, explicou o presidente do tribunal, Park Han-Chul.