O primeiro-ministro ucraniano acusou nesta sexta-feira a Rússia de querer começar «uma terceira guerra mundial» ao apoiar a insurreição separatista no leste da Ucrânia e apelou para a comunidade internacional se unir «contra a agressão russa».

«As tentativas de agressão do exército russo no território da Ucrânia levarão a um conflito sobre o território da Europa. O mundo não se esqueceu da II Guerra Mundial e a Rússia pretende lançar uma terceira guerra mundial¿, declarou Arseni Iatseniouk durante um conselho de ministros que foi transmitido em direto.

«O apoio da Rússia aos terroristas na Ucrânia constitui um crime internacional e nós apelamos à comunidade internacional para se unir contra a agressão russa», acrescentou.

Barack Obama, que se encontra em Seul, anunciou entretanto que pretende coordenar uma aproximação comum com os aliados europeus, depois de os EUA terem concluído que a Rússia não fez nada para cumprir o acordo assinado na semana passada em Genebra a propósito da crise na Ucrânia.

«Vou falar com os europeus outra vez, esta noite, não com todos, mas com os principais, para assegurar-me de que partilham a minha avaliação sobre a situação desde as negociações de Genebra», disse o presidente norte-americano durante uma conferência de imprensa.