A Renamo, maior partido de oposição em Moçambique, revelou a ocorrência de novos confrontos com o exército desde a manhã de hoje na província de Tete, centro do país, e a fuga de populações para o vizinho Malaui.

O porta-voz da Renamo (Resistência Nacional Moçambicana) disse à Lusa que as posições do braço armado da força política começaram a ser atacadas desde as 10:40 locais (menos uma em Portugal), na zona de Ndande, posto administrativo de Zobué, no distrito de Moatize, e que, até ao início da tarde, os confrontos ainda não tinham cessado.

Segundo António Muchanga, as forças governamentais procuravam atacar uma base da Renamo naquela região, mas foram repelidas e "fugiram em debandada", não havendo informações sobre baixas.