A organização ambientalista Sea Shepherd Global denunciou esta quinta-feira, através do Facebook, o massacre de 250 baleias-piloto, nas Ilhas Faroé, na Dinamarca.

Segundo o “Daily Mail”, tratou-se de uma matança de baleias - "grindadráp" - para cumprir a tradição anual local. Com arpões e facas, os habitantes cercam as baleias que foram levadas até à orla das praias e matam-nos.

Nas fotos divulgadas pelos ativistas é possível ver que o sangue dos mamíferos manchou o mar de vermelho.

De acordo com a organização, o evento contou com o apoio da marinha dinamarquesa e “grindadráp” está legalizado pelas autoridades das ilhas.

“É incompreensível que a Dinamarca, um país membro da União Europeia, que luta contra este tipo de prática, consiga justificar a sua participação neste massacre”, afirmou a ativista Wyanda Lublink ao jornal. 


Por tentarem interferir na matança, sete ambientalistas foram detidos.