A polícia israelita anunciou esta quarta-feira ter feito uma “onda de detenções” de suspeitos envolvidos em dois ataques de uma seita religiosa a veículos militares que transportavam feridos sírios para o hospital.

Os meios de comunicação de Israel avançaram que nove drusos, membros de uma comunidade religiosa com origem no Líbano, foram detidos na sequência dos ataques na segunda-feira, quando uma multidão matou um sírio e feriu outro nas colinas de Golã, e uma ambulância foi apedrejada na cidade de Hurfesh, na região da Galileia.

“Confirmo que detivemos um número de pessoas como parte da investigação ao homicídio de um sírio no ataque à ambulância. A investigação prossegue”, disse à Efe o porta-voz do exército Micky Rosenfeld.