As autoridades espanholas detiveram, esta sexta-feira, na região de Valência um cidadão marroquino de 24 anos, residente em Espanha, por alegada colaboração com o grupo islâmico responsável “pelos atentados terroristas” em Barcelona, em agosto.

Segundo o Ministério do Interior o homem, detido em Vinaroz (Castellón), região autónoma de Valência, pela Guarda Civil, mantinha uma estreita relação “com vários terroristas” incluindo Abdelbaki Es Satty, o imã de Ripoll que liderava o grupo extremista.

A Guarda Civil investiga a participação do indivíduo, detido esta sexta-feira, na aquisição das substâncias que permitiram a fabricação de mais de 100 quilos de TATP (triperóxido de triacetona), o explosivo que costuma ser utilizado pelo grupo radical armado Estado Islâmico nos atentados na Europa.

A investigação da Guardia Civil está a "permitir reconstruir a atividade logística da célula" nas semanas anteriores aos atentados.

"A magnitude dos preparativos encontrados após a explosão da vivenda que os terroristas tinham em Alcanar exigiu uma enorme atividade de recolha de substâncias" para o qual "os vários membros da célula contaram com o apoio do suspeito detido hoje" que, pelo menos, supostamente, "emprestou a sua documentação para que comprassem peróxido de hidrogénio".

O mesmo comunicado revela que este suspeito ofereceu ainda "aos terroristas, meios para realizar parte do transporte" das substâncias.

O atentado de 17 de agosto, na zona turística das Ramblas, vitimou 13 pessoas e feriu mais de 100.