As autoridades australianas anularam, esta segunda-feira, a medida que obrigava as pessoas com o rosto coberto com véus como a burka ou niqab – que deixa apenas visíveis os olhos – a sentarem-se numa galeria pública separada no Parlamento australiano.

No início do mês, a presidente da Câmara dos Representantes, Bronwyn Bishop, e o presidente do Senado, Stephen Parry, aprovaram estas medidas contra os véus que cobrem o rosto, o que motivou a indignação pública e o primeiro-ministro, Tony Abbott, a instar que se aplique o senso comum, de acordo com a agência Efe.

O Departamento de Serviços Parlamentares emitiu hoje um comunicado anunciando que esta medida foi anulada e que os visitantes vão passar a ser obrigados a retirar temporariamente qualquer tipo de véu sobre o rosto para identificação.