Procurador Alberto Nisman

uma arma que não era dele

«Por ser uma arma de um calibre pequeno, calibre 22, e não uma arma de guerra, normalmente isso faz com que a perícia não dê resultados positivos», argumentou Viviana Fein à rádio Mitre. Mas isso «não descarta que tenha sido ele a dispará-la», acrescentou a promotora, referindo que é preciso esperar pelo resultado de todos os testes solicitados, entre eles o do ADN do sangue encontrado na arma.


«Será investigado se houve algum tipo de indução ou instigação ao suicídio por meio de ameaças, seja através de mensagens de texto ou telefonemas», afirmou Fein à estação de rádio argentina. «Poderíamos falar em suicídio, porque o corpo não foi agredido nem submetido a maus tratos, mas não descarto a incitação», concluiu a promotora, reiterando que ainda falta um exame toxicológico. 




O que aconteceu

morte de Alberto Nisman



Fotografia do escritório antes da morte

whatsapp

Nisman enviou esta foto ao vice-presidente da DAIA, horas antes de morrer



Manifestações na Argentina

#YoSoyNisman (Eu sou Nisman)