Pelo menos três pessoas morreram na cidade de Masaya, na Nicarágua, anunciou hoje um grupo de direitos humanos, numa altura em que as autoridades procuraram recuperar o controlo depois de dois meses de conflitos devido à agitação política.

Alvaro Leiva, diretor da Associação Pró-Direitos Humanos da Nicarágua, referiu que para além dos três mortos, os confrontos causaram também cerca de 40 feridos, na cidade de Masaya.

A embaixada dos Estados Unidos referiu, em comunicado, que o embaixador de Washington na Organização dos Estados Americanos chegou à Nicarágua.

O embaixador Carlos Trujillo pretende reunir-se com o Presidente Daniel Ortega e representantes da oposição para conversar sobre uma solução para a crise.

A Nicarágua vive há dois meses a crise mais sangrenta das últimas décadas, com protestos e barricadas que deixaram mais de 180 mortos e mais de 1.300 feridos.

Daniel Ortega e a sua mulher e vice-presidente, Rosario Murillo, são criticados por corrupção e abuso de poder e é-lhes exigido que abandonem o poder, que ocupam há 11 anos.