As urnas abriram este domingo no Egito, sob forte aparato militar, para eleger durante um mês e meio um Parlamento, que deverá reforçar o apoio do presidente Abdel Fattah al-Sissi devido à ausência de qualquer oposição, violentamente reprimida.

As eleições legislativas no Egito, que oficialmente arrancaram no sábado com os votos dos egípcios no estrangeiro, ocorrem na primeira fase em apenas 14 das 27 províncias do país e só devem estar concluídas a 2 de dezembro com a escolha dos 596 deputados. 

As restantes 13 regiões são consultadas a 22 e 23 de novembro.  O Egito tem cerca de 53 milhões de eleitores.

Numa assembleia de voto instalada numa escola primária do bairro de Haram, no coração da capital, cerca de 40 eleitores entraram cerca das 09:00 locais (08:00 em Lisboa) para votar mas separadas, as mulheres para um lado e os homens para outro, refere a AFP.

Todo o favoritismo vai para as duas coligações nacionalistas onde se incluem vários responsáveis do antigo regime.