A agência europeia de controlo das fronteiras externas, Frontex, estima que cheguem este ano à União Europeia (UE) cerca de 300 mil refugiados através do Mediterrâneo e da Líbia.

Calculamos que estejam a chegar à volta de 10 mil por semana”, afirmou o diretor do departamento de operações, Klaus Rösler, em declarações ao diário popular “Bild”, em relação ao crescente número de chegadas em barcos registado esta primavera.

Segundo Rösler, a intensa campanha de vigilância por parte das patrulhas da UE faz com que sejam cada vez mais os que se arriscam a essa perigosa travessia, com a esperança de que sejam resgatados.

O centro da Frontex, na Polónia, reportou na passada quinta-feira que o número de imigrantes ilegais que chegaram a Itália em maio foi o dobro dos de abril.

Tal deve-se sobretudo ao aumento de saídas do Egito e da Líbia, enquanto as chegadas às ilhas gregas caíram cerca de 60%.

A agência especificou que o elevado número de deteções no Mediterrâneo central durante o mês passado não se deve a mudanças nas rotas utilizadas pelos imigrantes retidos na Turquia, mas ao aumento do tráfego da África Ocidental e do Corno de África, com embarque na Líbia e no Egito.