O Tribunal Europeu de Justiça retirou esta quarta-feira o grupo palestiniano Hamas da lista de organizações terroristas, onde se mantinha desde dezembro de 2001, embora mantenha congelados os bens detidos pelo movimento na Europa.

A decisão não implica, segundo o tribunal, «nenhuma apreciação de fundo sobre a qualificação do movimento Hamas como grupo terrorista».

Criado em 1987, na altura em que se registou a primeira Intifada (manifestação espontânea da população palestiniana contra a chamada ocupação israelita), o Hamas é considerado uma organização terrorista por Israel, pelos Estados Unidos, pelo Reino Unido, pelo Japão, pelo Canadá, pelo Egipto e, até hoje, pela União Europeia.

O grupo reivindica a libertação da Palestina da «ocupação israelita» e o estabelecimento de um Estado islâmico na região onde é hoje Israel, tendo sempre recorrido a ataques quer contra soldados quer contra civis.

Os ataques contra civis foram considerados como crimes de guerra contra a humanidade por vários grupos de defesa dos direitos humanos.