A Rússia rejeita os planos de alguns países para “estrangular economicamente” o regime da Coreia do Norte. Moscovo alerta, de resto, para as eventuais graves consequências humanitárias que tais medidas possam ter.

Não podemos apoiar as ideias que estão a planear alguns dos nossos parceiros e que procuram, de facto, estrangular economicamente a Coreia do Norte”

A afirmação é do ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, no final de uma reunião em Moscovo com o seu homólogo da Bolívia, Fernando Huanacuni.

Lavrov explicou que sanções adicionais contra o regime de Pyongyang implicariam “trágicas consequências humanitárias para a população” norte-coreana.

Para Moscovo, uma guerra entre os EUA e a Coreia do Norte seria desastrosa. A Rússia pretende, em conjunto com a China, um caminho para uma resolução pacífica do impasse nuclear.

Ficou o apelo diplomático para que os militares dos EUA cancelem os exercícios conjuntos com a Coreia do Sul, como aquele que deverá começar em poucas semanas. Em troca, a Coreia do Norte suspenderia os testes de mísseis.

Oa rejeitou as propostas chinesas e os russas, sendo que Lavrov já disse que o regime norte-americano "é mais forte e mais inteligente" para dar o primeiro passo para que esta crise acabe.

Na sexta-feira passada, o presidente dos EUA, Donald Trump, avisou que as soluções militares contra a Coreia do Norte estão "prontas a disparar"

Veja também: