O Conselho de Segurança da ONU "condenou firmemente" o lançamento do míssil balístico da Coreia do Norte que sobrevoou o Japão, considerando que se tratou de um ato "altamente provocatório", refere em comunicado após uma reunião de emergência.

São atos escandalosos", frisa o Conselho de Segurança, que pede à Coreia do Norte que "os pare imediatamente".

"Essas ações não são apenas uma ameaça para a região, mas também para todos os Estados membros da ONU", salienta o comunicado, aprovado pelos 15 membros do Conselho, incluindo o Japão, um membro não permanente.

Estas reações surgem após um novo disparo de míssil norte-coreano que sobrevoou o Japão, menos de uma semana após a adoção pelo Conselho de Segurança da ONU de uma oitava série de sanções para tentar convencer o país a renunciar aos seus programas balístico e nuclear.

Pyongyang lançou esta manhã um novo míssil balístico, o décimo desde maio, que sobrevoou a ilha de Hokkaido, no norte do Japão, antes de cair a aproximadamente 2.000 quilómetros do cabo de Erimo, em águas do oceano Pacífico.