O principal caçador de elefantes, na Índia, liderou esta sexta-feira, uma tentativa de abater um elefante que matou 15 pessoas.

O governo indiano pediu ao caçador Nawab Shafat Ali Khan para apanhar o animal que esmagou quatro vitimas, no estado oriental de Bihar em março, antes de atravessar a aldeia de Jharkhand e matar onze pessoas.

O chefe da floresta e da conservação da vida selvagem de Jharkhand, LR Singh, afirma que a decisão de matar o animal foi tomada depois de uma equipa não conseguir capturar e tranquilizar o elefante, durante uma semana.

Singh referiu que o terreno rochoso e a densa vegetação, no distrito de Sahibganj, dificultaram o trabalho de apanhar o elefante.

“A visibilidade é escassa e tornou-se quase impossível tranquilizar o animal”, explicou o responsável à AFP. 

Já matou tantas pessoas. Houve duas mortes nos últimos quatro dias. Apesar de todos os esforços o departamento florestal e as nossas equipas, não tiveram outra opção senão pedir o abate do animal”, acrescentou.

Acredita-se que o elefante se tenha perdido durante o seu trajeto e se tenha separado dos outros elefantes, e que se desviou para as aldeias mais altas de Sahibganj.

A área afetada é habitada pela tribo de Paharia, uma das comunidades tribais indígenas mais pobres da índia.

Das onze mortes, nove vítimas foram em Paharia.”, afirmou o chefe da floresta e conservação da vida selvagem. "O caçador, ao qual o governo, pediu ajuda para caçar o elefante é um dos melhores. Ele tem uma vasta experiência com este tipo de animais e, por isso, ele recebeu a responsabilidade de apanhar o elefante. Esperamos que ele consiga apanhar o animal a qualquer momento.”

Em 2014, o caçador Nawab Shafat Ali Khan foi mandatado pelo estado de Uttar Pradesh para capturar um tigre que matou uma pessoa, mas que se acreditava ter morto mais oito.

Os elefantes matam cerca de 60 pessoas todos os anos, em Jharkhand, segundo o chefe da floresta e conservação da vida selvagem. Estima-se que cerca de 1.100 pessoas morrem por toda a índia, devido a ataques de elefantes ou leões.

O ministro do Ambiente estima que todos os dias morre uma pessoa, devido ao confronto com animais em vias de extinção, a grande maioria esmagada por elefantes.

Os encontros violentos ente elefantes e seres humanos estão a aumentar, uma vez que as vastas extensões de floresta são cortadas para dar lugar a habitações e indústria.