80 em estado críticode Paris, François Molins, citado pelas agências internacionais.

De acordo com as autoridades francesas, os autores dos atentados estão todos mortos, tratando-se de oito terroristas, todos com coletes de explosivos, sete dos quais suicidas. O outro foi abatido pela polícia na sala de espetáculos Bataclan.

Não está excluída a possibilidade de haver cúmplices em fuga e é essa pista que as autoridades de segurança seguem neste momento.

Segundo, ainda, o balanço dos hospitais da capital francesa, deram entrada nas unidades de Paris 300 vítimas dos atentados, incluindo 80 feridos em "estado grave" e 177 casos de "emergência relativa". 

Os seis ataques tiveram lugar no Bataclan, no estádio nacional, na avenida da República e em restaurantes e esplanadas.


Durante os ataques, 100 pessoas foram feitas reféns dentro da sala de espetáculos Bataclan onde atuava a banda norte-americana ataque ter terminado



declarou estado de emergência em todo o território francês

Em comunicado

várias explosões perto do Estádio de França

Veja aqui o AO MINUTO





LibérationEurope 1

“Vários indivíduos armados entraram no concerto e dois ou três de rosto descoberto começaram a disparar com armas automáticas de tipo ‘kalachnikov’ ao acaso sobre a multidão”.



“Ouvi os reféns dizerem claramente ‘A culpa é de Hollande. A culpa é do vosso Presidente. Ele não devia intervir na Síria'. Eles também falaram do Iraque”, afirmou uma destas testemunhas, que se encontrava na sala de espetáculos do Bataclan, onde dezenas de pessoas foram mortas.


do Le Monde, que também se encontrava no Bataclan, foi atingido a tiro num braço e teve de se refugiar em casa de amigos. Com uma bala que lhe atravessou o braço, o jornalista conseguiu ainda resgatar um americano ferido.



à possível morte de "Jihad John"aquando do atentado na Tunísia

a reagir aos atentados em Pariso primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho