A agência federal de gestão de emergências dos Estados Unidos (FEMA) estima que um quarto (25%) das casas de Florida Keys (sudeste) tenha sido destruída pelo furacão Irma e definiu como prioridade procurar vítimas.

Segundo um porta-voz da agência, Brock Long, 25% das casas do arquipélago estão destruídas e 65% sofreram estragos importantes.

Estimativas iniciais - e foi por esta razão que pedimos às pessoas que evacuassem a área por causa da maré - apontam que 25% das casas de Florida Keys foram destruídas e 60% foram danificadas. No geral, todas as casas de Florida Keys foram afetadas de uma maneira ou de outra", afirmou Brock Long.

Na terça-feira, um novo balanço de vítimas mortais, provocadas pelo furacão Irma, dá conta que pelo menos 12 pessoas morreram na Florida. Eleva-se assim o número de vítimas para 19 em todo o país, segundo o gabinete do governador Rick Scott.

Depois de sobrevoar a área de Florida Keys, o governador afirmou que a zona tinha ficado completamente "devastada" e que espera que os habitantes tenham conseguido salvar-se.

O que vimos foi horrível. (...) Há muitos danos".

O Irma - qualificado pela Organização Mundial de Meteorologia como o furacão mais forte de sempre no Atlântico - enfraqueceu na segunda-feira ao atravessar o estado norte-americano da Florida, perdendo a designação de furacão e passando a ser classificado como tempestade tropical.