O Presidente norte-americano Barack Obama disse esta quarta-feira que os Estados Unidos não desempenham nenhum papel nos protestos pró-democracia em Hong Kong, apesar de acusações chinesas de que forças estrangeiras estão envolvidas.

«É inequívoco dizer que os Estados Unidos não estão envolvidos na promoção dos protestos que decorrem em Hong Kong», disse Obama numa conferência de imprensa conjunta em Pequim.

O movimento pró-democracia agita Hong Kong há mais de seis semanas, com os manifestantes a reivindicarem a introdução do sufrágio universal pleno.

Manifestantes planeiam ocupar zona do consulado britânico
 
Manifestantes em Hong Kong planeiam ocupar as vias junto ao consulado britânico, pela alegada falta de apoio de Londres ao movimento pró-democracia, noticia a AFP.

O governo de Hong Kong instou, na terça-feira, os manifestantes – a maioria estudantes – a abandonarem os locais de protesto que ainda ocupam algumas das principais vias da cidade, mais de seis semanas depois do início das manifestações pelo sufrágio universal.

A ‘número dois’ do Executivo local, Carrie Lam, disse não haver «mais espaço para negociação» com os estudantes, depois de, na segunda-feira, a polícia ter sido autorizada a apoiar os oficiais de justiça para fazerem cumprir ordens judiciais com vista à retirada das barricadas das estradas.