As autoridades chinesas responsáveis pela imprensa, que gerem a censura, anunciaram um projeto de lei que vai proibir que as páginas na Internet e portais informativos produzam notícias próprias, além de impor a censura prévia a estes conteúdos.

Segundo o projeto, difundido num comunicado da Administração Estatal de Imprensa, Publicações, Rádio, Cinema e Televisão, os serviços informativos na Internet deverão contratar “supervisores profissionais”, encarregados de rever o conteúdo das notícias, antes que sejam publicadas.

Além disso, só se pode emitir informação audiovisual procedente de rádios e televisões já estabelecidas que tenha, no mínimo, um caráter municipal, destacou a circular.