Durante 12 anos, Micaela foi abusada sexualmente pelo próprio pai. “Ele tinha um gorila e uma ursinha de pelúcia e dizia-me que os dois eram noivos, e que me ensinaria a brincar. Joguei Chicho, o gorila, longe mil vezes, na esperança aquilo algum dia fosse acabar", desabafa ela.

Micaela, agora com 17 anos, criou um blogue e uma página no Facebook, onde relata os abusos de que foi vítima e onde dirige mensagens ao pai, a quem chama “meu progenitor”.

A adolescente conta episódios de violência e reproduz frases que ouvia enquanto era agredida: "Tranquila... se te mexeres é pior"; “Quanto mais resistires, mais te dói!”; “Estamos só a brincar…”.

 

Los niños no mienten! #PorUnaInfanciaSinDolor

Publicado por Por Una Infancia Sin Dolor em Domingo, 10 de Abril de 2016

 

El abuso sexual infantil no se olvida, se supera y esto lo aprendí en todo este tiempo que estuve alejada de la página y...

Publicado por Por Una Infancia Sin Dolor em Sexta-feira, 18 de Março de 2016

 

Frases que no se olvidan aunque el tiempo pase...

Publicado por Por Una Infancia Sin Dolor em Domingo, 15 de Novembro de 2015

 

Micaela tem mais de 82 mil seguidores. A página é muito mais que um espaço de desabafo ou de denúncia. Tornou-se também num espaço de consciencialização sobre o assunto.

Num texto, intitulado "Pai, odeio-te", Micaela mostra-se especialmente revoltada: "Pai, lês tudo o que eu publico aqui, espero que também leias isto. Tu e o teu advogado merecem cair no mesmo inferno. Tomara que não consigas dormir nem hoje nem nunca mais em paz, lembra-te da minha voz infantil dizendo para me deixares em paz. Espero que isto te tire o sono".

 

 

A mi progenitor que abusó de mí por años cuantas veces quiso, a los que quieren que olvide todo y simplemente guarde...

Publicado por Por Una Infancia Sin Dolor em  Quinta-feira, 24 de Março de 2016

Recentemente, numa entrevista à imprensa do país, Micaela contou como tudo foi descoberto, há cerca de um ano. Os professores e psicólogos da escola que frequenta estranharam alterações no seu comportamento. Conversaram com ela e descobriram o que estava a acontecer. Foi então que a mãe de Micaela também ficou a saber de tudo. Saíram de casa, juntamente com o irmão de 7 anos. O homem enfrenta agora um processo judicial, mas a mãe de Micaela não o quer ver na cadeia.

A minha mãe não trabalha, ela não quer que ele vá preso, suponho que para não perder o dinheiro que ele nos dá para a alimentação”, disse Micaela, ao jornal Cronica.

A jovem conta que alguns dos seus tios a deletaram das suas contas no Facebook. "Tinha medo de ser julgada, mas agora não. Há uns tempos, uma pessoa disse-me que falar sobre isso não ajudaria de nada, talvez tenha razão, mas, sabe o quê?, com 17 anos não posso ajudar como queria, somente posso dizer a todos os sobreviventes que não se calem, custou-me muito entender, mas nós não temos culpa e a vergonha deve cair sobre o agressor. Por isto dou a cara e digo a todos que se sabem de algo não olhem para o lado".

 

Para los que no me conocen: me llamo Micaela, tengo 17 años y soy de Argentina, Buenos Aires. Como muchos de ustedes soy...

Publicado por Por Una Infancia Sin Dolor em Segunda-feira, 21 de Março de 2016