O número de vítimas mortais da intoxicação provocada pelo consumo de uma bebida alcoólica tradicional na província de Tete aumentou para 69, noticiou esta segunda-feira a Rádio Moçambique.

A diretora distrital de Saúde, Mulher e Ação Social em Cahora Bassa, Paula Bernardo acrescentou que 196 pessoas foram internadas desde sábado devido à ingestão de phombe, a bebida tradicional de fabrico caseiro à base de mapira, farelo de milho e açúcar.

«Estamos a todo o momento a aguardar pelos resultados dos testes que encomendámos ao Hospital Central de Maputo, para identificarmos o tipo de produto introduzido na bebida», disse Carla Mosse, a diretora provincial da Saúde em Tete, à Rádio Moçambique.

Entretanto uma brigada de técnicos da Polícia de Investigação Criminal (PIC) e do Serviço de Informações e Segurança do Estado (SISE) foi enviada para o local onde procede a investigações sobre o sucedido.

De acordo com a Rádio Moçambique, os acontecimentos tiveram lugar no bairro de Cawira B, província de Tete, na sexta-feira à tarde, um local onde habitualmente se encontram os vendedores de phombe, quando um grupo de pessoas que regressava de uma cerimónia fúnebre decidiu parar para consumir a bebida.

No domingo, o Governo de Moçambique decretou três dias de luto nacional, lamentando o ocorrido e prometendo apoio às famílias enlutadas.

Cavaco Silva envia mensagem de condolências 

O Presidente da República enviou uma mensagem de condolências ao chefe de Estado de Moçambique, associando-se ao luto nacional decretado pelo Governo daquele país.

«Na véspera da minha partida para Maputo e ao tomar conhecimento do trágico acontecimento que provocou elevado número de vítimas mortais no distrito de Chitima, na província de Tete, e associando-me ao luto nacional decretado pelo Governo, quero transmitir a vossa excelência e ao povo moçambicano, em nome do povo português e no meu próprio, os sentimentos do nosso profundo pesar e a expressão da nossa muito sentida solidariedade», lê-se numa mensagem enviada pelo chefe de Estado português, Aníbal Cavaco Silva, ao seu homólogo moçambicano, Armando Guebuza.

Cavaco Silva, que parte terça-feira para uma visita de quatro dias a Moçambique, para assistir à cerimónia de tomada de posse do novo chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi, transmite ainda "sinceras condolências" às famílias das vítimas.

«Nestes momentos difíceis, o nosso pensamento está com o povo moçambicano, em particular, com as famílias das vítimas, a quem pedimos que vossa excelência se digne transmitir as nossas mais sinceras condolências», lê-se ainda.