A Arábia Saudita vai autorizar a abertura de salas de cinema a partir de 2018, pondo fim a uma interdição em vigor há 35 anos, anunciou o Ministério da Cultura do governo de Riade.

As autoridades do reino saudita vão igualmente dar início aos processos de exploração das salas de cinema.

No quadro de reformas defendido pelo príncipe herdeiro, Mohamed bem Salmane, o governo pretende promover os espetáculos e outras formas de divertimento no reino apesar da oposição das forças ultraconservadoras.

A decisão está a gerar controvérsia, tendo a mais alta autoridade religiosa do país protestado contra a medida. O mufti da Arábia Saudita defende que o cinema pode ser "fonte de depravação" uma vez que "podem exibir filmes libertinos, obscenos, imorais e ateístas para mudar a nossa cultura".