O refugiado rasteirado por uma jornalista húngara, quando fugia da polícia com o filho ao colo, já fugiu da guerra na Síria e das torturas de que foi alvo por parte do regime de Bashar Al Assad e fugia agora da Turquia, onde levava uma vida de fome. Osama Abdul Mohsen era treinador de futebol na Síria e vivia na cidade de Deir Ezzor. Quando foi rasteirado pela jornalista Petra Laszlo, carregava nos braços o filho de sete anos.


 
De acordo com o jornal El Mundo, que cita uma entrevista do filho mais velho de Mohsen à cadeia de televisão libanesa Al Akhbar, o homem fugiu há quatro anos da Síria. Há um ano e meio que vivia “miseravelmente” na Turquia e, por isso, voltou a fugir, desta vez para a Europa. “Na Turquia só ganhava 10 dólares por dia”, explica o filho de Osama Abdul Mohsen.