Dois presumíveis jihadistas que estariam «prontos para perpetrar atentados» foram detidos, esta madrugada, em Ceuta, por agentes da Polícia Nacional, informou o Ministério do Interior espanhol.
 
A operação antiterrorista levada a cabo em Ceuta resultou na detenção dos dois suspeitos «que formavam parte de uma célula totalmente preparada e disposta para atentar em território nacional», indicou o gabinete de informação da Polícia.

Segundo o Ministério do Interior, a investigação ainda não terminou e os agentes estão a efetuar buscas domiciliárias no bairro El Príncipe, onde foram efetuadas as detenções. Desde as 4:00 que agentes da Polícia Nacional ocuparam várias zonas em Madrid acompanhados por agentes da Polícia Nacional de Ceuta.

A operação em causa, que é a continuação da realizada a 24 de janeiro, em que foram detidos outros quatro membros da mesma célula jihadista, ainda não terminou, uma vez que prosseguem buscas domiciliárias em Ceuta.

A 24 de janeiro, Farid Mohammed Al Lal e o irmão Mohammed, e Anwar Ali Amzal e o irmão Rodouan, de nacionalidade espanhola, origem marroquina e com idades entre os 20 e os 39 anos, foram detidos em Ceuta durante a operação Chacal.