O primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi, anunciou hoje "o fim da guerra" levada a cabo pelas forças governamentais nos últimos três anos para eliminar o grupo jihadista Estado Islâmico no Iraque.

"As nossas forças controlam completamente a fronteira [entre o Iraque e a Síria] e anuncio o fim da guerra contra o 'Daesh', (autoproclamado grupo Estado Islâmico)", disse o responsável político em Bagdade, na abertura de uma conferência organizada pelo sindicato dos jornalistas iraquiano.

A ocupação do Iraque pelo Estado Islâmico começou em 2014, quando o grupo passou a controlar quase um terço do território do país.

Em 2017, depois de uma ofensiva militar em grande escala, Mossul foi libertada, logo depois foram concluídas as operações militares em outros bastiões dos terroristas no país. 

Os Estados Unidos da América felicitaram, entretanto, o Iraque. Em comunicado hoje divulgado e citado pela agência norte-americana Associated Press, a porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, refere que os EUA transmitem as "sinceras felicitações ao povo iraquiano e às bravas forças de segurança do Iraque, muitas das quais perderam a vida heroicamente lutando contra ISIS [autoproclamado grupo Estado Islâmico]".

Os Estados Unidos se juntam ao Governo do Iraque, enfatizando que a libertação do Iraque não significa que a luta contra o terrorismo, e mesmo contra o ISIS no Iraque, acabou".