Centenas de crianças perderam a vida devido ao vírus do Ébola e há milhares que lutam pela sobrevivência sem ninguém a cuidar delas, alertaram as organizações humanitárias.

Na Libéria, Serra Leoa e Guiné-Conacri as crianças que perdem os pais estão a ser deixadas sozinhas, ostracizadas pelas comunidades, que receiam ser contagiadas.

«Era diferente com a epidemia do HIV», disse a porta-voz da UNICEF, Sarah Crowe, referindo-se ao apoio dado pela família e amigos, que acolheram muitos órfãos.

O vírus do Ébola já matou quase 3500 pessoas em mais de sete mil casos conhecidos da doença em países da África Ocidental, sobretudo na Guiné-Conacry, Libéria, Serra Leoa e no Gana. A profissional espanhola tornou-se no primeiro caso de contágio deste vírus na Europa.