Em causa, estão 11 canais, que ficaram pura e simplesmente a negro. Para além disso, há problemas no site, que aparece como estando «em manutenção» e nas redes sociais. 

 

«Estamos sem capacidade de difundir através de qualquer dos nossos canais. Os nossos sítios na internet e nas redes sociais deixaram de estar sob o nosso controlo e estão a exibir reivindicações do designado Estado Islâmico», afirmou o diretor-geral da estação, Yves Bigot, à AFP.

Falou, também, para um vídeo da sua televisão colocado no YouTube:

Os piratas colocaram também documentos na página da TV5Monde no Facebook com o que alegaram ser a identificação e os currículos de familiares de soldados que participam nas operações contra este grupo.

Esta quinta-feira, de manhã, ainda só consegue transmitir programas gravados.

«À hora a que estamos a falar, conseguimos restaurar um único sinal do conjunto dos nossos canais, mas apenas conseguimos transmitir programas pré-gravados», declarou o diretor-geral da TV5Monde, Yves Bigot.

«Não fomos capazes ainda de restabelecer a difusão, nem a produção dos nossos noticiários», acrescentou.