A final do futebol americano é um programa com vários programas lá dentro. Para além do jogo propriamente dito, a emissão, acompanhada mundialmente pelos fãs do desporto, tem muito mais para ver para além das linhas do estádio.

Os anúncios emitidos durante a emissão especial são autênticos concentrados de filmes, no desafio que é deixar a marca em 30 segundos ou num minuto.

Caros na produção e na difusão, a CBS cobrou, este ano, cinco milhões de dólares (cerca de 4,5 milhões de euros) por cada meio minuto.

Embora, segundo os media, as audiências não estejam a subir à mesma velocidade do preço dos anúncios, quem pode não se inibe de aproveitar esta oportunidade de brilhar. Afinal, nove dos dez programas mais vistos da televisão americana são Super Bowl, segundo a Vox.

Este domingo realizou-se a final do Super Bowl, nos Estados Unidos, ganha pelos Broncos. Aqui ficam alguns dos anúncios que não concorrem aos Óscares, mas contam com “oscarizados” no elenco.

Dirigido ao público masculino principalmente, há muitos anúncios a carros, bebidas, mas, também, preocupações com o ambiente. Aqui ficam alguns.

 

A consciência da sustentabilidade do planeta pela marca da pasta de dentes.

 

 

Se conduzir não beba, o conselho de Hellen Mirren.

 

 

Christopher Walken revela-se e sai do armário. 

 

 

Anthony Hopkins ajuda-o a tratar das suas finanças.

 

 

Alec Baldwin bem-disposto e em boa companhia. 

 

 

A Chrysler investiu em dois anúncios e fez um vídeo só com fotografias. 

 

 

Não ganham Óscares, mas podem ser atores principais. Os animais.