A passagem do furacão Matthew pelo Haiti já fez, pelo menos, 842 mortos no Haiti, segundo o último balanço oficial citado pela Reuters. 

A península do sul do Haiti foi a mais severamente atingida pelo furacão.

A tempestade está já a afetar a costa sudeste dos EUA onde vigora o estado de emergência. O Matthew desceu de grau de intensidade de quatro para três (numa escala máxima de cinco) ao largo da Florida, ameaçando causar estragos no sudeste dos Estados Unidos após a destruição provocada nas Caraíbas.

O Matthew, com ventos de até 210 quilómetros por hora, é a primeira tempestade desta dimensão a atingir os Estados Unidos da América nos últimos dez anos. 

 As autoridades emitiram ordens de evacuação para zonas que abrangem pelo menos três milhões de residentes. No caminho do furacão estão cidades de maior dimensão como Jacksonville (Florida) e Savannah (Georgia).

Na Florida, milhão e meio de pessoas já abandonou as casas e cerca de 180 mil casas estão sem luz. De acordo com a empresa Florida Power & Light, a principal elétrica do estado, à 01:00 (06:00 em Lisboa), 179.980 casas estavam sem luz, a maioria em Palm Beach (71.010) e Martin (26.430).

O número, que somado às 88.660 casas onde já foi restabelecido o serviço, resulta num total de 268.640 afetadas pelo Matthew, um furacão que o governador da Florida, Rick Scott, apresenta como uma ameaça “mortal” para os cidadãos.

Os outros estados norte-americanos afetados são os da Geórgia, Carolina do Norte e Carolina do Sul, onde também vigora o estado de emergência, tal como na base da NASA em Cabo Canaveral onde mais de uma centena de trabalhadores se encontra barricada num abrigo.

O Matthew visto pela NASA.