Uma equipa de arqueólogos norte-americanos identificou um sarcófago com 3.800 anos onde se admite estar embalsamado Sobekhotep I, um faraó da 13ª dinastia do Egito antigo, indicou esta segunda-feira o ministro das Antiguidades egípcio.

A descoberta, na região de Sohag (sul), é considerada importante pelo facto de os especialistas possuírem até ao momento informações muito reduzidas sobre este faraó «que governou o Egito quatro anos e meio, o reinado mais longo dessa época», segundo referiu um responsável do ministério.

A equipa norte-americana da universidade da Pensilvânia detetou há um ano o imponente sarcófago do soberano, que pesa mais de 60 toneladas, e que incluía urnas funerárias e objetos em ouro. No entanto, apenas o conseguiu identificar após a descoberta, há uma semana, de uma inscrição com o nome do faraó, que também o representa num trono.