Nelson Mandela, ex-presidente da República da África do Sul e Prémio Nobel da Paz, morreu esta quinta-feira, aos 95 anos. A notícia da morte foi dada a conhecer em declaração ao país pelo Presidente da África do Sul, Jacob Zuma.

Mundo reage: veja os vídeos

«Ele partiu, ele foi-se pacificamente na companhia da família», afirmou Jacob Zuma. «Ele agora descansou, ele agora está em paz. A nossa nação perdeu o seu maior filho. O nosso povo perdeu o seu pai», declarou o Presidente. «Ele está agora em paz», acrescentou.

«A nossa nação perdeu o maior dos seus filhos», disse Zumba em comunicação ao país.

Luto de dias e povo com direito a despedir-se de Madiba

«Madiba», nome carinhoso pelo qual era conhecido entre os sul-africanos, tinha sido hospitalizado por várias vezes ao longo dos últimos anos e morreu depois de o seu estado de saúde se ter agravado. Mandela ficou hospitalizado pela última vez de junho a setembro devido a uma infeção pulmonar. Nelson Mandela deixou o hospital e estava agora em casa.

Herói da luta contra o Apartheid, ex-líder do Congresso Nacional Africano (ANC) e Prémio Nobel da Paz, Nelson Mandela deixa um legado de paz, coragem e união à África do Sul e ao mundo.

«O nosso querido Madiba vai ter um funeral de Estado», pormenorizou o presidente sul-africano, anunciando que a bandeira do país vai estar a meia-haste a partir de sexta-feira e até às suas exéquias.

Leia aqui o perfil de Nelson Mandela