Israel e Arábia Saudita, dois países que não mantêm relações diplomáticas, reuniram-se em segredo, por cinco vezes, para falar sobre o Irão, que ambos consideram uma ameaça regional, informa esta sexta-feira o diário israelita Jerusalem Post.

As reuniões, realizadas no último ano e meio na Índia, Itália e República Checa, tinham como objetivo levar a cabo uma campanha de “diplomacia clandestina” para minimizar a crescente influência do Irão na região, revelaram diplomatas de ambos os países, segundo o jornal, que cita ‘media’ norte-americanos.

Dore Gold, designado para ser o próximo diretor-geral do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Israel, e Anwar Majed Eshki, general saudita retirado ex-assessor do príncipe Bandar bin Sultan e ex-embaixador dos Estados Unidos, discutiram a abordagem dos dois países num encontro pouco habitual em Washington.