Brittany Maynard, a norte-americana de 29 anos, com um grave tumor no cérebro, pôs termo à vida no dia em que queria: dia 1 de novembro. A informação foi confirmada este domingo pela família. A jovem de 29 anos morreu em casa depois de tomar a medicação letal prescrita por um clínico.

«Adeus a todos os meus queridos amigos e família, que eu amo. Hoje é o dia que escolhi para passar com dignidade esta fase da minha doença terminal, este terrível tumor no cérebro que tirou tanto de mim. O mundo é um lugar bonito, viajar tem sido o meu maior professor, os meus amigos mais próximos os meus maiores doadores. Enquanto escrevo esta mensagem tenho um círculo de apoio à volta da minha cama... Adeus mundo. Espalhem boas energias», escreveu a jovem na sua última mensagem no Facebook.

Confirmando a notícia da morte, a irmã de Brittany, Erica Holmes-Kremitzki escreveu também: «Ela vai viver nos nossos corações. Voa com os anjos, Brittany. Sei que vais cuidar de todos nós».

Quando teve conhecimento da doença, a jovem, natural da Baía de São Francisco, afirmou que desejava «morrer com dignidade», ao invés de se submeter aos tratamentos complexos e dolorosos que a doença exigia. A jovem relançou assim a discussão sobre a eutanásia, após afirmar que queria morrer com dignidade.