Um tiroteio em São Bernardino, na Califórnia, fez, esta quarta-feira, pelo menos 14 mortos e 17 feridos, avançou a polícia. O incidente ocorreu no Inland Regional Center, um centro sem fins lucrativos que trabalha com pessoas com deficiência.
 
De acordo com a polícia de São Bernardino, três suspeitos fortemente armados e com a cara tapada por máscaras de ski, entraram no edifício e abriram fogo, fazendo várias vítimas. A polícia avança ainda que os suspeitos conseguiram fugir num SUV preto.

Um dos presumíveis autores do tiroteio foi atingido no local pela polícia, e outro detido, segundo imagens televisivas e informações policiais. O último suspeito continua a monte.

As autoridades retiraram centenas de pessoas do edifício que escaparam aos disparos. O FBI, citado pela BBC, admite que ainda não sabe se este foi um ataque terrorista.

Segundo uma testemunha citada pelo ABC7, um atirador entrou no edifício e abriu fogo, obrigando as pessoas que ali se encontravam a refugiar-se dentro de um dos escritórios.

Segundo a CNN, no local esteve a polícia, o FBI, a unidade tática de intervenção (ATF, na sigla em inglês) e uma brigada anti-explosivos também está no local.

O Presidente Barack Obama já lamentou na CBS a repetição destas ocorrências, “sem equivalente no mundo”.

“Há medidas que nós podemos tomar, não para eliminar todos estes tiroteios, mas para melhorar as possibilidades de não ocorrerem com esta frequência”

 

 

O número de vítimas mortais apurado até ao momento torna este incidente o mais mortífero ocorrido este ano nos EUA, pelo registo do Los Angeles Times.