Dois deputados pró-democratas de Hong Kong entregaram-se esta segunda-feira à polícia devido ao seu envolvimento nos protestos do ano passado por eleições livres, uma ação de desobediência civil que está a ser investigada pela polícia.

As autoridades prometeram investigar «os principais instigadores» do protesto que bloqueou a cidade por mais de dois meses e terminou em dezembro.

Vários líderes dos protestos foram detidos e libertados sem acusação, um procedimento controverso que tem sido apelidado de perseguição.