Um dos pilotos do voo da Germanwings que se despenhou esta terça-feira nos Alpes franceses estaria trancado fora do cockpit no momento do acidente. A notícia é avançada pelo jornal norte-americano «The New York Times», que cita uma fonte militar próxima da investigação.
 
De acordo com a referida fonte, os registos áudio recuperados esta quarta-feira mostram uma «conversa muito descontraída» entre os dois pilotos na primeira parte da viagem entre Barcelona e Dusseldorf. Entretanto, o registo áudio indica que um dos pilotos deixou o cockpit e não conseguiu voltar a entrar.
 

«O homem que estava do lado de fora batia insistentemente na porta e não obtinha resposta. Entretanto, bate mais forte na porta e não houve resposta. Nunca houve resposta», revela a mesma fonte.

 

«Consegue-se perceber que o homem tentava arrombar a porta», acrescenta a fonte citada pelo «The New York Times».

 
O jornal norte-americano diz que é ainda desconhecida a razão pela qual um dos pilotos se ausentou do cockpit. «Uma coisa é certa: na parte final do voo, o outro piloto estava sozinho e não abriu a porta», sublinha a fonte, que pediu o anonimato precisamente por estar envolvida na investigação. 



O grupo alemão Lufthansa, ao qual pertence a companhia Germanwings, referiu, já esta quinta-feira, que não poder confirmar esta informação.

Em declarações à agência noticiosa DPA, um porta-voz da Lufthansa disse «não ter atualmente nenhuma informação que possa confirmar a notícia do diário New York Times».

No entanto, a companhia alemã comprometeu-se a divulgar toda a informação da tragédia, e apelou a que não seja dado crédito a «especulações» sobre as causas do acidente do voo 9525.
 
Esta quarta-feira, o presidente-executivo da Lufthansa assegurou que o piloto que conduziu o A320 na segunda-feira, no último voo antes da viagem fatal, garantiu à companhia aérea que detém a Germanwings, que o avião estava «em condições perfeitas». 

Carsten Spohr confirmou ainda que, na segunda-feira, o aparelho foi sujeito a uma manutenção e que não foi detetada qualquer anomalia.

Também esta quarta-feira, em conferência de imprensa, o Instituto de Investigação e Análise (BEA, na sigla em francês) revelou que foi encontrado um ficheiro áudio «com informação útil» que pode ser utilizado na investigação. A mesma entidade revelou, durante a tarde, que o conteúdo do ficheiro está ainda a ser analisado, mas a investigação descarta para já alguns cenários como a influência de condições meteorológicas, a explosão no ar e a despressurização e paragem dos motores.  

«Nesta fase, não há nenhum indício do cenário de despressurização», disse, admitindo que o  «avião bateu a uma grande velocidade contra a montanha, desintegrando-se».

SIGA AO MINUTO OS DESENVOLVIMENTOS SOBRE A QUEDA DO AVIÃO DA GERMANWINGS

Esta quarta-feira, as equipas de resgate conseguiram retirar já do local da tragédia restos mortais de algumas vítimas, de acordo com as autoridades francesas citadas pela France2.
 
A CNN avança também que agentes do FBI em Espanha, França e Alemanha estão a passar a pente fino o manifesto de voo fornecido pela Germanwins e a cruzar informações com serviços de inteligência. A CNN acrescenta ainda, citando duas fontes oficiais não identificadas, que, até agora, os agentes não encontraram nada que indicasse qualquer atividade criminosa por parte de nenhum dos 144 passageiros ou dos seis tripulantes.