O Banco suíço UBS AG disse que não vai divulgar mais nomes de clientes norte-americanos ao governo dos Estados Unidos, que exige a sua divulgação por suspeitas de fraude fiscal, disse fonte oficial do banco suíço.

O UBS AG responsabilizou-se por ter ajudado centenas de norte-americanos a esconder os seus bens do governo norte-americano, tendo divulgado o nome de cerca de 300 clientes e pago uma multa no valor de 780 milhões de dólares (621 milhões de euros), diz a Lusa.

No entanto, o serviço de impostos dos Estados Unidos reclama ainda a divulgação de todos os clientes norte-americanos que mantêm contas no banco suíço não declaradas nos EUA.

Mark Branson, responsável pelo USB AG, disse que o banco já «fez tudo o que podia» para ajudar o serviço de impostos dos Estados Unidos.

«O UBS não pode divulgar informação que iria colocar os funcionários do banco em sério risco de acusação criminal, à luz da lei suíça», explicou Branson.

O serviço de impostos dos Estados Unidos está a pressionar o banco a revelar os registos de cerca de 52 mil clientes norte-americanos do banco suíço que terão alegadamente violado a legislação dos Estados Unidos, por usarem contas não declaradas no valor de pelo menos 14,8 mil milhões de dólares (quase 11,8 mil milhões de euros).