A Câmara de Viseu anunciou, nesta segunda-feira, que, durante esta semana vai desenvolver uma operação de abate de árvores secas e em risco no Parque Aquilino Ribeiro, no centro da cidade, para garantir a segurança dos visitantes.

A operação, que decorrerá até sexta-feira, realiza-se no âmbito do projeto de inventário arbóreo da “cidade jardim” desenvolvido numa colaboração entre o município, a Quercus, a Associação para o Desenvolvimento e a Investigação de Viseu (ADIV) e a Universidade de Trás-os-Montes de Alto Douro (UTAD).

Segundo a autarquia, a decisão foi tomada antes do acidente com uma árvore de grande porte ocorrido na terça-feira, na Romaria de Nossa Senhora do Monte, na Madeira, que causou 13 mortos e 49 feridos, entre os quais crianças.

Depois de feita uma avaliação às árvores existentes no Parque Aquilino Ribeiro, foram 15 as identificadas como estando em situação de “avançado estado de degradação”.

Estas árvores “encontram-se maioritariamente secas ou com fungos, o que acentua, progressivamente, a sua fragilidade e consequente risco de queda”, explica a autarquia.

A curto prazo, e ao invés da replantação de novos exemplares, é opção privilegiar a regeneração natural através das sementes deixadas pelas espécies já existentes e com melhor capacidade de adaptação às condições do parque”, acrescenta.

O município avisa que, devido à operação, é possível que, durante estes dias, algumas zonas do parque fiquem “restritas ou condicionadas por questões de segurança”.

O projeto do inventário arbóreo de Viseu “tem também por objetivo a estruturação de um ‘manual de boas práticas’ para a correta plantação, manutenção e salvaguarda do património arbóreo”, indica, ainda.